quarta-feira, 29 de junho de 2016

Do caderno dos Açores






Apesar do muito vento e da chuva que ameaçava, foi um belo dia passado em S. Roque e seguindo depois a pé até à Praia do Populo, a mais pequena, onde almocei.

No final do almoço o segundo desenho ganhou história pois fui abordada por um senhor que, pela pronuncia, me pareceu um emigrante das Américas. Veio dizer-me que tinha seguido a feitura do desenho que estava lindo (palavras dele) mas sobretudo o que o espantava era a rapidez em que o tinha feito. E insistia muito nesta tecla. Achei graça a referir-se a esse facto pois realmente foi mesmo um desenho rápido.
A história está na página do lado num pequeno recorte dum folheto de Ponta Delgada sobre as actividades a decorrer.

Gosto destes desenhos com história.

terça-feira, 28 de junho de 2016

Sanjoaninas 2016
Concurso de Ganadarias.
Praça de touros da ilha Terceira.
#usk #rds180 #sanjoaninas #urbansketchersterceira


O Sketcher


quinta-feira, 23 de junho de 2016

Observações astronómicas

Sem Saturno, Marte e Júpiter, conforme prometido mas com lua cheia e cagarros, foi assim a noite de ontem,  22/06, no Centro de Ciência de Angra do Heroísmo.


quarta-feira, 22 de junho de 2016

Sete Cidades

Fui passear às Sete Cidades, a aproximação mostrou-se pacífica, fresca mas... pacífica. Não revelando a quantidade de pessoas que por lá se «escondia». O turismo é bom para a economia e dinâmica locais, mas implica um entupimento de alguns dos meus sítios «de estimação» que num instante tornaram-se «de moda» ou - talvez- mais apelativos...
E... finalmente encontrei sossego num recanto da Lagoa, junto ao Túnel. O solo à volta da Lagoa das Sete Cidades é poroso e permite o escoamento das águas através do basalto. Todavia, não sendo suficiente foi construído - em 1937 - um túnel que garante a estabilidade do nível da água. Antes, a ligação aos Mosteiros podia fazer-se através desta travessia...

(Pilot G-tec-C4, aguarela e frafite)                                                                                                                                                | «in situ» |

terça-feira, 21 de junho de 2016

.

Angra em Festa. Cais da Alfândega, neste primeiro dia de Verão, em plenas Sanjoaninas 2016. A cidade "descansa" de uma noite de folia enquanto se prepara para outra.

domingo, 19 de junho de 2016

1ª competição distrital de campo de tiro com arco



Integrada nas festas Sanjoaninas, sobre a baía de Angra do Heroísmo, no Relvão, o parque da cidade, desenvolveu-se a 1ª competição de campo de tiro com arco. A tarde estava convidativa a usar cor e não o habitual preto e branco. (Lápis de cor sobre papel reciclado)

sábado, 18 de junho de 2016

Morning drawing...

Estufa
Jardim António Borges
Ponta Delgada

Da minha janela...

Ermida de Sant'Ana e Jardim José do Canto
Ponta Delgada

«vivó verão»

Nada como o verão para nos fazer tirar partido do dia. No desenho faço um registo de algumas das paragens que fiz durante no meu passeio de bicicleta. 
(Graph'it shake, posca, liquitex paint markerl sobre ebru)                                                                                                                  |«in situ»|

quinta-feira, 16 de junho de 2016

Páteo d'Alfândega, Angra do Heroísmo



No Páteo d'Alfândega, Angra do Heroísmo, em véspera das Sanjoaninas 2016. O desafio de hoje foi desenhar um pouco dos espaços das festas que começam já amanhã. Aqui temos Vasco da Gama que se anuncia para celebrar "Uma capital no Coração do Atlântico". O que não vemos é o reboliço e a azáfama para ter as tasquinhas prontas a tempo e horas.

segunda-feira, 13 de junho de 2016

Abençoados verdes

Os verdes e os verdes num leque arrendado de verdes cobrindo as encostas, caindo no mar, despontando verde, morrendo verde.

Uma bebedeira de verdes foi hoje o meu dia na costa Norte da Ilha - abençoados verdes que desafiam a mão e assombram o olhar.

Rendo-me aos verdes desta Ilha, para mim, a sua maior preciosidade. 

Helena Monteiro

domingo, 12 de junho de 2016

Egresso das aulas



caneta 0.05, giz

caneta 0.05


Desenhos que fiz no penúltimo e último dia de aulas deste ano lectivo. No primeiro a minha irmã preenche o seu currículo, no segundo a turma descansa e apanha sol na relva agradável (e com alguns presentes caninos) das Portas do Mar. Nestes desenhos voltei a fazer desenho contínuo, o que já não fazia à algum tempo e até gostei dos resultados. No primeiro dei-lhe, mais tarde (ontem), várias camadas de cor e raspei para experimentar com as texturas. Quanto ao segundo, decidi deixá-lo assim (por agora).


em Ponta Delgada


caneta preta fina

Este foi meu primeiro encontro nos USK que na realidade correu lindamente, junto à Matriz, Ponta Delgada. 

sábado, 11 de junho de 2016

USKaz #16 | desenhar com HELENA MONTEIRO

caneta 0.05, carvão, giz, tinta vermelha e sanguínea

grafite, carvão, giz, tinta vermelha e sanguínea

Desenhos que fiz no Jardim António Borges neste último encontro. No primeiro comecei com desenho de contornos (quase contínuo) mas eventualmente passei para carvão, giz e afins pois queria ver o resultado da mistura das duas técnicas. No segundo, respondendo ao desafio da Helena Monteiro, desenhei as grutas das partes mais profundas do jardim, das quais gosto particularmente. Comecei logo com a grafite e tentei destacar as diferentes camadas com recurso a materiais diferentes, mas devo dizer que ficou um pouco atribulado.

sexta-feira, 10 de junho de 2016

Encontro no Jardim António Borges



16º encontro de diários gráficos. Desenho. Partilha. Jardim. Café. Amizade. Muito bom ambiente.
(Obrigada, Helena, pelo desafio e pela partilha.)

Nordeste | Miradouro da Vista dos Barcos

_Ahhh... a «ditadura» da aguarela leva-me a tentar experimentar outras coisas, mas de vez em quando lá me deixo levar pela sua portabilidade. Há tempos fui ao Nordeste onde as falésias são altas e as vistas largas... de encher a alma.
A viagem ao Nordeste - com a SCUT - faz-se muito rapidamente, isso não me dá o mesmo prazer que antigamente e penso que não trouxe muitas vantagens para as freguesias a caminho da Vila. Pode ser que quem faz a viagem, diariamente, em trabalho não se sinta em desvantagem. Na verdade deixámos de lá ir com a mesma frequência e deixámos, também, de parar noutras localidades. Dá-me sempre a sensação de haver um maior isolamento de todos os lugares. Será que valeu a pena o investimento??? Quando chegamos ao destino o tempo -ainda- ocorre noutro ritmo, o que é muito bom!

(Grafite e aguarela)                                                                                                                                                     | mais aqui:«in situ» |

quinta-feira, 9 de junho de 2016

O acaso... o destino...



Há coisas extraordinárias na nossa vida.

No sábado passado, 4 de junho, houve um encontro no jardim António Borges, em Ponta Delgada, para desenhar com a Helena Monteiro. O destino quis que eu não estivesse presente para desenhar com essa Amiga. O destino quis, que aos 99 anos de vida da minha avó, ela partisse. Não podia, de forma alguma, sobrepor este momento ao ato de desenhar. Mas esse mesmo destino tornou possível desenhar com ela. Ia eu a passar de carro, quando a observo em sentido contrário ao meu. Acho que também o destino quis que esse ponto de cruzamento entre nós, numa via super movimentada e com proibição de paragem e estacionamento, tivesse uma pequena entrada de propriedade, para fazer uma breve paragem, sair do carro e cumprimenta-la. Não tive meias medidas que não oferecer a minha disponibilidade para levá-la até onde quisesse. Ela respondeu que ia desenhar, a uns passos mais à frente, a Ermida de S. Gonçalo. E eu, com o maior gosto, ofereci-me para acompanhá-la.

Pois é, aqui está o resultado desse nosso encontro. 

terça-feira, 7 de junho de 2016

USK 16 | DESENHAR COM HELENA MONTEIRO

no encontro realizado no Jardim António Borges decidi utilizar um caderno que tinha já à algum tempo, que nada mais é do que uma cartolina azul
Este foi o resultado do encontro que contou com a participação da Helena Monteiro









Encontro 16 USKaz SMiguel | Desenhar com Helena Monteiro


O nosso 16ºencontro foi interessante e esteve bem «povoado» (embora a fotografia não registe todas as presenças). Para já, tivemos muita sorte com o tempo... abriu uma janela temporal (digo eu) que nos permitiu realizar - a seco - a maior parte do encontro e nos fez acreditar que a manhã de sábado foi proveitosa. Conjugámos a visita da Helena Monteiro a São Miguel com a nossa vontade de desenhar em conjunto. No jardim António Borges a Helena contou-nos um pouco da história da formação do grupo USK nacional e mostrou os seus cadernos. Falou de «truques» e de estratégias para dar a volta a algumas «fragilidades» e defendeu - no desenho - a importância do processo em prol do resultado final, incitando para a liberdade e vontade de desenhar. 



Eu desenhei muito pouco, mas ainda assim usei os carimbos que a «Senhora das árvores» trouxe. Uni dois postais, em papel de aguarela e tentei explorar algumas dicas sugeridas pela Helena. Fui apontando «coisas soltas» com o intuito de estabelecer ligações e de criar  -no desenho- um contexto para a figura representada (HFM) e para o seu caderno de viagem a São Miguel (pousado sobre o banco) fossem o mais importante das páginas... Obrigada HFM pela amabilidade e pela partilha!!
(Artline 200 Fine 0.4, Graph'it shake, posca sobre aguarela)                                                                                                                  |«in situ»|

segunda-feira, 6 de junho de 2016

USKaz #16 | DESENHAR COM HELENA MONTEIRO

Após andar um bocadinho pelo jardim, comecei a desenhar umas palmeiras. Optei por um registo que brinca com o positivo//negativo (como tenho feito ultimamente), uma vez que ainda não o tinha experimentado em árvores. Entretanto, começou a chover e fomos para um sítio abrigado e escondido, onde nunca tinha estado - uma <cova> relativamente ao nível do jardim - daí ter decidido olhar para cima e desenhar o céu, emoldurado pelas árvores.

domingo, 5 de junho de 2016

USK Açores 16• jardim António Borges

Sketch captado no sul do jardim, árvore sobre gruta.

UskAz#16 | Desenhar com Helena Monteiro

Não sendo nada fácil para mim desenhar "natureza" dei o meu melhor....



USKaz #16 | DESENHAR COM HELENA MONTEIRO

Quando cheguei (atrasada), Helena Monteiro já estava a falar do seu trabalho. Do pouco que ainda apanhei, o que mais me marcou foi o facto de considerar o processo mais importante do que o desenho final, fazendo com que se chegar ao fim e descobrir um erro no seu desenho, fica ainda mais satisfeita do que se tivesse feito um «bom» desenho, pois ao aperceber-se de que algo não está bem, está a aprender e assim a evoluir. Tentei ir desenhando enquanto a ouvia, acrescentando alguns detalhes no fim. 

sexta-feira, 3 de junho de 2016

ao jantar

Às vezes janto mais cedo que as outras pessoas cá em casa; o que depois faz com que o tempo que fico à mesa enquanto comem seja passado a desenhar. Como na maioria dos desenhos que faço da minha cozinha evito desenhar os azulejos, desta vez dei-lhes especial atenção.

o João

Aproveitei uma aula de avaliações para desenhar quem estava à minha frente. Queria eu ter poscas de todas as cores... Depois de não encontrar ninguém com posca vermelha, acabei por colocar cor (vermelho) no photoshop, o que acabou por dar uma transparência engraçada ao desenho. 

quinta-feira, 2 de junho de 2016