segunda-feira, 23 de julho de 2018

sexta-feira, 20 de julho de 2018

segunda-feira, 16 de julho de 2018

38º Encontro USkP Açores | Desenhar com (XI) Luísa Salvador


Neste encontro foi nos proposto pela Luísa Salvador ir à procura, pela cidade de Ponta Delgada, o que gostariamos de ver ilustrado nos postais dos Açores.

Enquadramento da torre do relógio da igreja matriz e da torre sineira de Ponta Delgada.

Bancada de produtos regionais no Mercado da Graça.

As ermidas e os desenhos da calçada (ambos situados perto do Largo do Teatro, o nosso ponto de encontro).


(materiais: artline drawing system 0.6, uni Posca white, caneta de gel branca e grafite)

sábado, 14 de julho de 2018

Desenhar com (XI) Luísa Salvador



Desenhar com (XI) Luísa Salvador



Desenhar com (XI) Luísa Salvador #01




























O 38°Encontro USkP Açores ocorreu a desenhar com (XI) Luísa Salvador. Foi com enorme simpatia que a Luísa desafiou o grupo a olhar à volta e a desenhar com outro propósito. Corremos em busca do "postal" que melhor ilustrasse a nossa cidade. Uma hora e meia esgota-se rapidamente e decidimos não nos afastar muito do Largo de São João. Da paisagem selecionei -no alto da Mãe de Deus- a presença maritima e o casario com duas torres em contraste pela dimensão e a presença da serra/ alguns apontamentos da vegetação. Um dos postais, fi- lo ao alto, contrariando a orientação convencional: Ponta Delgada, uma cidade para desenhar, neste faltou-me tempo para o texto e eventualmente para uma cercadura. De regresso ao pavilhão da Walk&Talk encontrei o mercado fechado o que me impediu de fazer o que tinha tinha planeado. Pensei, previamente, sobrepor uns ananases (ou outros produtos naturais) à paisagem, acontece.

Luís Caetano                                                                                                                                                 (mais fotos aqui aqui)


 (Caneta caligráfica, grafite, carimbo, aguarela e lápis de cor)                                                 «in situ»




37.º Encontro USk Açores | Desenhar com Vítor Silva

Trilho de bambu


Vegetação


Cactos em flôr

Desenhar com (X) Vítor Silva



Desenhar com (XI) Luísa Salvador


Desenhar com (X) Vítor Silva


quinta-feira, 12 de julho de 2018

Sketch na Chinatown de Toronto



Entrar na Chinatown é uma experiência incrível, as pessoas, as placas e os cheiros, é um mundo dentro doutro.

Sketch da Anglican Church of St. George The Martyr




Um dos meus lugares preferidos de Toronto.


Desenhar com (X) Vítor Silva



O 37°encontro USkP Açores a desenhar com (XI) Vitor Silva, no Pinhal da Paz (Mata das Criações), foi espetacular. Tivemos algumas das caras «costumeiras» e novos e queridos amigos que se juntaram ao roteiro definido pelo Vítor e que nos deu umas nuances de «survival sketch».
Gostei muito de rever a Diana Santos e de poder desenhá-la a desenhar connosco.

©Luís Caetano (mais fotos)
Fizemos a pausa prevista para o almoço um pouco tardiamente. Algumas pessoas não puderam ficar e despediram-se. Nós, os que ficámos, pusemos a conversa em dia e depois do piquenique subimos até ao mirante do parque onde a vista é realmente desafogada. Vislumbra-se a ilha da costa Norte à costa Sul numa panorâmica (360º) única...

 (Caneta caligráfica, grafite, carimbo, aguarela e lápis de cor)                                                 «in situ»

quarta-feira, 11 de julho de 2018

Desenhar com (X) Vítor Silva



Desenhar com (X) Vítor Silva



Desenhar com (X) Vítor Silva

Ponta Delgada vista do Mirante do Pinhal da paz.

Desenhar com (X) Vítor Silva2018, Açores, Encontro 37 USkP Açores,






Desenhar com (IX) Helena Monteiro | 35°encontro USKP Açores



Desenhar com (X) Vítor Silva









Mata da criação, 4 estações, ar, terra, fogo e água.

segunda-feira, 9 de julho de 2018

Sinfonieta de Ponta Delgada

A animação das Noites de Verão em Ponta Delgada é uma evidência, tem vários pontos de interesse e os locais e turistas vão-se movimentando de acordo com os seus interesses. A Sinfonieta de Ponta Delgada, este ano, juntou-se à festa. Nas portas da Cidade onde se encontrava o cadeiral preparado para o efeito, sentei-me e comecei o meu desenho ao som da orquestra, mas a chuva (depois de algumas ameaças) deu cabo do serão... ainda pensámos que iríamos para a Ig Matriz - em alternativa - como tinha sido divulgado (caso chovesse)... não foi possível. Os músicos e as muitas pessoas que ali estavam abrigaram-se nas arcadas da praça... que pena.
 (Caneta caligráfica e lápis de cor)                                                           «in situ»