no local

--------------------------------* OS DESENHOS DESTE BLOGUE RESULTAM DA OBSERVAÇÃO DIRETA E FORAM FEITOS NO LOCAL *

quinta-feira, 12 de setembro de 2019

Praia dos Santos, São Roque, ponta delgada, açores

Não são necessárias muitas técnicas, materiais, assuntos, suportes. Não é necessário desenhar como os grandes mas sim, olhar como as crianças. Aquelas que já fomos e que escondemos atrás das nossas vidas de responsabilidade. Aquele olhar que nos faz sorrir quando vemos um filho a desenhar uma pessoa com 5 pernas e um nariz com formato de batata ou ouvimos um filho a falar sobre um qualquer assunto da atualidade a explicar o assunto como se fosse a pessoa que mais entendesse dele. Para tudo, as coisas pequeninas são aquelas que nos escapam muitas vezes e que carecem de maior atenção,pormenor e dedicação.


quinta-feira, 5 de setembro de 2019

(a)Riscar o Património 6ª ed.

53º encontro USK PORTUGAL Açores

(a)Riscar o Património/Heritage Sketching é uma iniciativa da DGPC – Direção-Geral do Património Cultural, com apoio dos Urban Sketchers Portugal, integrada nas Jornadas Europeias do Património, que decorrem todos os anos em todo o país, durante o mês de Setembro. São Miguel recebe, uma vez mais, o (a)Riscar o Património – Heritage Sketching. Trata-se de um encontro nacional de desenho de património, a realizar-se no sábado dia 28 de Setembro, sob o tema “Artes, Património e Lazer”. Este evento, coordenado pela DGPC, terá lugar no Jardim José do Canto, em Ponta Delgada e resulta da colaboração estreita entre a Fundação Jardim José do Canto, os USkAçores e alguns amigos de «sentir poético». 
O projeto tem como propósito alargar o conceito de património a outro tipo de interpretações e representações, associando-se ao desenho como forma de expressão privilegiada, espontânea e lúdica. O caderno enquanto suporte de registo, possibilita uma melhor observação, permite ao seu utilizador uma memória única, permanente e detalhada sobre o tema desenhado. Um momento que acaba por ser incorporado indelevelmente, de forma sensitiva e cognitiva, definindo assim uma relação diferente com o património. 

A iniciativa dirige-se a todos os amantes do desenho e conta com uma adesão cada vez maior de participantesDos trabalhos resultantes dos encontros nacionais organiza-se, como habitualmente, uma exposição itinerante que leva a todo o país desenhos  que reflectem o universo de todos os que riscam e arriscam – no desenho, no património e na vida.


EQUIPAMENTOCaderno e utensílios de desenho
                            Água, refeição ligeira  (a cargo de cada participante)

PONTO DE ENCONTRO Jardim José do Canto (Portão)
11:00 h | início
Receção aos participantes
11:15 h | Visita Guiada ao Jardim
12:30 h | Almoço/ Piquenique - Sala da Relva
Poesia dedicada a Luís de Camões (*) e à natureza
14:00 hDesenhar no Jardim
16:00 h | Partilha de desenhos e fotografia de grupo

(*) José do Canto foi um apaixonado bibliófilo e camonista, colecionando uma biblioteca pessoal com cerca de 18 mil títulos, editados do século XV ao século XIX, que, entre outras preciosidades, incluía um exemplar da primeira edição de Os Lusíadas. A coleção, resultante das múltiplas compras que José do Canto fez nos Açores e a vários alfarrabistas em Portugal, França e Inglaterra, constitui, desde Maio de 1942, um dos fundos integrados na Biblioteca Pública e Arquivo Regional de Ponta Delgada.
A coleção camoniana de José do Canto é considerada como a segunda melhor existente, reunindo todas as edições de Os Lusíadas saídas a público em português até 1898, ano da morte de José do Canto, o que corresponde a cerca de 110 edições, publicadas entre 1572 e 1892. Estão ainda incluídas 105 edições em várias línguas, incluindo húngaro, alemão, inglês, francês, italiano, espanhol, russo e japonês.

Organização: Direção-geral do Património Cultural, Urbansketchers Portugal Açores e Fundação Jardim José do Canto

Coordenação localJoão Moniz e Maria João Ruivo

Esclarecimentos e inscrições:  urbansketchersazores@gmail.com

Anfitriã: Alexandra Baptista
........................................................................................................................................

Etiquetas:
(a)Riscar o património
Encontro 53 USkP Açores
São Miguel
Açores
2019



Fajã Grande

Fajã Grande, na Ilha das Flores

segunda-feira, 2 de setembro de 2019

domingo, 1 de setembro de 2019

Azores Burning Summer Festival

Desenhos possíveis ontem à noite no #azoresburningsummerfestival. Gostei tanto de estar em frente a estes dois "suaves"! #mariolaginha e #tcheka


#saratavares foi a única que não representei. Estive ocupada demais a dançar. Nunca a tinha visto ao vivo e, de facto, não desilude, absorve!
No final, em tom de muita festa com a Mãe Terra, só alguns tinham pés para dançar, talvez porque estivessem descalços, eu, aproveitei e encostei-me perto de uma coluna e fiquei a desenhar ao som da batida dos #terrakota.
Amigos, Alexandra Baptista Paula Amaral Paulo Brilhante Graça Viveiros, os Urban Sketchers Açores, estiveram lá. Isto seria uma desculpa perfeita para um encontro.

Pois ontem (31 agosto) no #azoresburningsummerfestival fozores  i, para mim, um noite de outros prazeres. Levei comigo o meu futuro, o filho da mãe. E ele é de facto, uma criança feliz e cheio de musica dentro de si.
Quando fiz este único desenho, já tínhamos, tomado banhoca no mar, apanhado umas ondas, dançado numa jam session junto à praia com os músicos da noite anterior e onde tive o descaramento de pedir ao Mário Laginha e ao Tcheka um autógrafo nos desenhos que fiz deles. Gente boa, de sorriso aberto.
Depois, ainda brincámos mais um bocadinho e fomos até ao espaço levados por uma bola de espelhos iluminada no centro do dance floor. Quando, finalmente, nos sentámos a ouvir o #salvadorsobral, que obviamente é um artista genial (digam o que disserem) ele experimenta e não tem vergonha daquilo que faz, consegui parar e riscar, com a luz possível o cenário abaixo de mim.
Todos sentados, a pedido do artista, iluminados no ambiente intimista possível num festival de verão.
No final...o meu herói, o puto, aterrou cansado, ao som da música. Urban Sketchers Açores
@azoresburningsummer