sexta-feira, 18 de dezembro de 2015

de volta às reuniões

Quero acabar com esta agitação superficial e frenética que o ensino, atualmente, impõe. Matar o sonho... é destruir a escola, matar a escola é burocratizá-la e não há sonho possível num ensino assim, esvaziado e destituído das questões essenciais. Assim, há uma habilidade que nos ludibria com a emanação Pessoana, encantatória, que afirma que « O sonho é o que temos de realmente nosso...». 
(Caneta caligráfica EF e Acrylic marker amsterdam)                                                                                                        |mais aqui: «in situ» |


Sem comentários: