domingo, 8 de novembro de 2015

Sinaga | Ponta Delgada

Depois do (a) Riscar o património voltámos à Sinaga (a fábrica de Açucar de Beterraba). Como não tinhamos ficado satisfeitos com o facto de não termos podido entrar na fábrica nem no núcleo museológico. Tentámos a visita que foi, novamente, acompanhada pela D. Cláuda Pereira (uma simpatia) que nos falou mais sobre a importância histórica da Sinaga, sobre as produções de álcool e açucar e sobre extinta autosuficiência da fábrica. No passado a Sinaga foi responsável pela sua própria manutenção (máquinaria, gráfica...) e isso significava um maior número de empregados em todos os setores. Tinha escola, banda, equipa de futebol e participavam ativamente na vida da cidade. Hoje, a história é outra, sobrevive às dificuldades impostas por um mercado global cujas cotas impostas lhe exigem uma administração pública que - obviamente - se justifica pelo interesse histórico/social da empresa. 


Na visita houve uma ou outra pessoa que desenharam bem mais do que eu (que lá estive em trabalho)...

(Caneta caligráfica EF, café, grafite  e aguarela)                                                                                                              |mais aqui: «in situ» |

Sem comentários: