Pesquisar neste blogue

no local

--------------------------------* OS DESENHOS DESTE BLOGUE RESULTAM DA OBSERVAÇÃO DIRETA E FORAM FEITOS NO LOCAL *

«Não se deve querer fazer uma vez mais aquilo que a Natureza já fez perfeito. Não se deve querer parecer verdadeiro pela imitação das coisas.»
George Braque in «Cahiers de G. Braque»

sexta-feira, 2 de abril de 2021

Azulejaria em papel

 Recebi num dos meus aniversários uma caneta de tinta permanente da KAWECO. Nem conhecia esta marca mas, a minha sogra, como sabe que eu gosto de receber presentes que me permitam criar, vai sempre oferecendo materiais e disse-me que tinha conhecimento que eram boas canetas. Ainda tenho que descobrir como arranjar mais cartuchos desta tinta porque o que descobri com elas, além de serem realmente muito confortáveis para desenhar, a tinta não é à prova de água e tem um tom de azul que iguala a azulejaria portuguesa e deixou-me com vontade de explorar os diferentes tons de azul criados com aguadas.

Um dos meus grandes desafios sãos as formas que a água toma, transparências, espuma, nuvens, fumos, densidades, superfície...etc. Não sei se será assim que nos podemos referir a este assunto mas, são os nomes que a minha cabeça lhes atribui.

O mar, que nos rodeia nestas ilhas onde vivo, tem tudo menos o cheiro do iodo. E se, uns dias está azul indigo, outros está turquesa e por vezes até cinzento. Nesta diferença de cores encontro diferença nos seus estados: calmo, revolto, encarneirado e sempre, sempre, anseio por saber representá-lo. Fico em estado meditativo e procuro encontrar na minha memória o cheiro do mar da praia continental que me viu crescer, Santa Cruz.

Estes desenhos foram feitos em dois dias diferentes, na costa norte da ilha de são miguel: Ribeira Grande e praia de Santa Bárbara.

Boa Páscoa! Confinem-se sem desgosto e agarrem-se a esses cadernos.

Vanessa

 


Praia de Santa Bárbara, num dia de sol antes da tempestade


Mar revolto, junto às Piscinas da Ribeira Grande


2 estudos para representar as "carreirinhas" em mará baixa na praia de Santa Bárbara.


Estudo escolhido, consegui perceber a intensidade de cor debaixo da espuma e que provoca o contraste do branco da espuma das ondas. Trabalho de claro/escuro com caneta aguarelada.

Sem comentários: